Futebol InternacionalLibertadores

História da Libertadores: como surgiu, primeiros vencedores, mudança no formato

A Libertadores, grande objetivo de equipes brasileiras e sul-americanas, é uma competição organizada anualmente pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) e une times da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. Além deles, times do México também já participaram.

Origem da Libertadores

Os jogos entre equipes de diferentes países começou no continente em 1900, por meio da Copa Competência, que reuniu clubes de Buenos Aires e Rosário, na Argentina; e Montevidéu, no Uruguai. Com a intenção de conseguir reunir times da América do Sul, a competição surgiu em um Congresso da CSF, em 1958, no Rio de Janeiro.

Então, naquele ano, o presidente José Ramos de Freitas, empossado recentemente como presidente da CSF, entrou em contato com as associações de Paraguai, Argentina e Chile. Em 1959, um novo congresso foi realizado em Caracas para fortalecer a ideia chilena de criar a Copa dos Campeões que já contava com apoio argentino e brasileiro. Após votação, apenas o Uruguai foi contra e a Venezuela se absteve e a entidade decidiu criar a competição.

Diferentes nomes, mas um mesmo torneio

Inicialmente, a competição sul-americana se chamou Copa dos Campeões da América. Ela somente se tornaria Libertadores da América em 1965, em homenagem aos líderes dos movimentos de libertação da América hispânica e do Brasil, atuantes nos séculos XVII e XIX. Desde então, ela mudou de nome algumas vezes com a inserção de nomes de patrocinadores: Copa Toyota Libertadores (1998-2007), Copa Santander Libertadores (2008-2012), Copa Bridgestone Libertadores (2013-2016), Conmebol Libertadores Bridgestone (2017) e desde 2018 é Conmebol Libertadores.

O primeiro campeão da Libertadores

A primeira edição da competição contou com campeões nacionais de sete países e teve como campeão o histórico Peñarol, do Uruguai, que bateu o Olímpia, do Paraguai, na final. Os uruguaios ainda fizeram a primeira partida da história do campeonato, contra o Jorge Wilstermann, da Bolívia.

Quem pode ser o dono da América?

A quantidade de times que pode disputar a Libertadores variou muitas vezes. Na primeira edição, participaram os campeões nacionais de sete países, no ano seguinte, nove, depois dez e os números foram alterados até 1965. De 1974 até 1997, a Libertadores contou com 21 equipes, com exceção para 1986 e 1990, que tiveram 19 equipes.

Em 1998, uma nova revolução foi instaurada no torneio: a Pré-Libertadores. Com isso, o número de equipes subiu para 23. Na fase, quatro equipes se enfrentavam em turno e returno com os dois melhores classificados para a fase de grupos.

Em 2020, o número subiu mais uma vez, e até 2009 alternou-se entre 32 e 38 participantes. Em 2010 chegou a 40, mas no ano seguinte recuou para 47. Atualmente, a competição conta com os últimos campeões da Libertadores, Sul-Americana e os dos campeonatos nacionais dos países participantes. As outras são definidas pelos critérios das confederações de cada país, mas em geral são os melhores colocados nos campeonatos nacionais.

Oficialmente, a divisão das vagas por país é a seguinte

  • Brasil 7
  • Argentina 6
  • Bolívia 4
  • Chile 4
  • Colômbia 4
  • Equador 4
  • Paraguai 4
  • Peru 4
  • Uruguai 4
  • Venezuela 4

Teve México, mas não tem Guiana, Guiana Francesa e Suriname

Apesar de estarem na América do Sul, as equipes de Guiana, Guiana Francesa e Suriname não participam da Libertadores porque são filiadas à Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe (Concacaf).

Com a popularização da competição, com a Toyota, patrocinador máster do torneio em 1998, aumentou-se significativamente o interesse de outros clubes em poder disputá-la. Com isso, houve a entrada de times do México, que permaneceram até 2016, quando decidiram abrir mão em consequência das mudanças implementadas pela Conmebol. Com isso, o Brasil ganhou mais uma vaga e a Argentina, uma.

Como é disputada a Libertadores

Preliminar (Pré-Libertadores)

Primeira fase

Seis equipes representantes de Bolívia, Equador, Paraguai, Peru e Venezuela. Os confrontos de ida e volta decidem quem passa e caso haja empate, é decidido na disputa de pênaltis.

Segunda fase

16 equipes, sendo 13 de Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai, Venezuela e os três vencedores da primeira fase. Os jogos também são eliminatórios de ida e volta e em caso de empate, permanecem os mesmos critérios da fase anterior.

Terceira fase

As oito equipes vencedoras na segunda fase disputam as quatro vagas para a fase de grupos. Os jogos são eliminatórios com ida e volta e em caso de empate, os mesmos critérios são mantidos.

Fase de grupos

Os 32 times são divididos em oito grupos, mas dentro de cada grupo não pode haver dois times de um mesmo país. Há o turno e o returno no grupo e os dois primeiros se classificam para as oitavas de final. Já os oito times posicionados na terceira posição de cada grupo classificam-se para a segunda fase da Sul-Americana.

Oitavas de final

São disputadas pelos classificados e as equipes realizam jogos de ida e volta. Os times com melhor desempenho na primeira fase decidem a volta dentro de casa. Nesta fase, times do mesmo país já podem se enfrentar.

Quartas de final

Os oito classificados se enfrentam em partidas de ida e volta e os times com melhor desempenho nas oitavas definem em casa.

Semifinal

Os quatro classificados se enfrentam em partidas de ida e volta e os times com melhor desempenho nas quartas definem em casa.

Final

Os vencedores da semifinal se enfrentam em um estádio pré-definido e anunciado pela Conmebol. Em caso de empate, há uma prorrogação de dois tempos de 15 minutos. Caso permaneça a igualdade, o título é decidido nos pênaltis.

Qual é a premiação da Libertadores?

O vencedor da competição ganha uma vaga para o Mundial de Clubes, uma para a Recopa Sul-Americana e garante seu lugar na edição seguinte da Libertadores. Além disso, atualmente o campeão leva 207,8 milhões (aproximadamente R$ 1,09 bilhão na cotação atual).

Quem são os campeões da Libertadores?

O Flamengo é o atual campeão da Libertadores – Foto: LUIS ACOSTA/AFP via Getty Images

7 títulos

Independiente (ARG) – 1964, 1965, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1984

6 títulos

Boca Juniors (ARG) – 1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007 (vice em 1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007).

5 títulos

Peñarol (URU) – 1960, 1961, 1966, 1982 e 1987 (vice em 1962, 1965, 1970, 1983 e 2011)

4 títulos

Estudiantes (ARG) – 1968, 1969, 1970 e 2009 (vice em 1971)
River Plate (ARG) – 1986, 1996, 2015 e 2018 (vice em 1966, 1976 e 2019)

3 títulos

Flamengo– 1981, 2019 e 2022 (vice em 2021)
Grêmio– 1983, 1995 e 2017 (vice em 1984 e 2007)
São Paulo– 1992, 1993 e 2005 (vice em 1974, 1994 e 2006)
Santos – 1962, 1963 e 2011 (vice em 2003 e 2020)
Palmeiras– 1999, 2020 e 2021 (vice em 1961, 1968 e 2000)
Olimpia (PAR) – 1979, 1990 e 2002 (vice em 1960, 1989, 1991 e 2013)
Nacional (URU) – 1971, 1980 e 1988 (vice em 1964, 1967 e 1969)

2 títulos

Internacional – 2006 e 2010 (vice em 1980)
Cruzeiro- 1976 e 1997 (vice em 1977 e 2009)
Atlético Nacional (COL) – 1989 e 2016 (vice em 1995)

1 título

Corinthians – 2012
Atlético-MG – 2013
Vasco – 1998
Racing (ARG) – 1967
Argentinos Juniors (ARG) – 1985
Colo Colo (CHI) – 1991 (vice em 1973)
Vélez Sarsfield (ARG) – 1994
Once Caldas (COL) – 2004
LDU (EQU) – 2008
San Lorenzo (ARG) – 2014

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo