Bastidores da Bola

Justiça nega pedido de Marcinho para jogar no Pafos, do Chipre

A justiça negou o pedido do lateral Marcinho para poder jogar no Pafos, do Chipre. Acusado de atropelar e matar um casal em 2020, o jogador não foi autorizado pela justiça a deixar o Brasil, nem para trabalho.

Na decisão, o juiz Rudi Baldi Loewenkron, da 34º Vara Criminal, entendeu que seria inviável autorizar o jogador a deixar o país, visto que tal decisão poderia prejudicar a aplicação da lei.

O lateral estava sem clube desde que deixou o Athletico, em fevereiro de 2022. O atleta alega que tem dificuldades em encontrar emprego no Brasil, devido a repercussão do acidente.

Em dezembro de 2020, o casal Maria Cristina José Soares e Alexandre Silva de Lima atravessavam uma avenida na Zona Oeste do Rio de Janeiro quando foram atropelados pelo carro que dirigia o jogador. O atleta estava em alta velocidade e fugiu do local sem prestar socorro.

1 comentário

  1. Decisão corretíssima desa justiça, seria ótimo se service para todos inclusive para alguns políticos e pessoas ricas, aí sim, eu acreditaria na justiça desse país

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo